segunda-feira, 29 de setembro de 2014

A Erva da minha Avó

É muito bom honrar os ancestrais. As culturas mais antigas sempre indicam este caminho. Encontrar um meio para se fazer isso é importante. Pois, nem sempre o reconhecimento se dá pessoalmente. Podemos passar muito tempo na jornada da vida até compreender a necessidade dessa atitude. E, até mesmo, as vezes só depois de algumas gerações é que abrimos mais a nossa consciência tornando possível o reconhecimento. Seguindo no rastro de honrar os ancestrais, lembrei que minha avó Ely sempre usava uma determinada erva para diversos males chamada CONFREI.


Segundo o livro O Poder das Ervas, de Adele G. Dawson (1991), o confrei é uma planta perene que tem a proteção do planeta Saturno. Seu nome em grego significa "crescer junto". E sua propriedade de cura é unir e cicatrizar.

É uma erva fantástica para diversos males. Principalmente, as fraturas tanto externas quanto internas, desde que preparada conforme indicado para cada situação. As folhas podem ser aplicadas em cortes no local afastando a dor e evitando o inchaço. A erva também pode ser usada para problemas respiratórios auxiliando na expectoração, pois ela tem ações emolientes e adstringentes. Para o trato estomacal e intestinal é igualmente indicada. Já que possui substâncias poderosas para a formação epitelial indicada para prevenir e curar úlceras.

O confrei contém potássio, cálcio, fósforo, ferro, magnésio e cobalto. Vitamina B, B11 e B12, C e E. Combate: artrite, asma, pé-de-atleta, escaras por permanência no leito, inchaços na juntas, hemorroidas, torceduras, cortes, feridas, picadas, bronquite e contusões.

Essências florais de confrei também são utilizadas em vários sistemas florais. Como floral é indicado para momentos onde os traumas bloqueiam a energia vital trazendo a sensação de esgotamento das forças e para perfis de autodestruição. Resgata a tranquilidade, tem ação regeneradora, desperta a consciência para o potencial de estruturação e reconstrução da vida.

Vó Ely: obrigada por ter ensinado seu netos sobre o confrei. Mesmo que, "eu" particularmente, só tenha me despertado para ele recentemente!


Nenhum comentário:

Postar um comentário