domingo, 2 de fevereiro de 2014

Um Bordado Feminino - II

A cores nos iluminaram com seu brilho em mais uma Roda Cigana, no dia 26 de janeiro de 2014.














Para facilitar nosso contato profundo com cada cor utilizamos as águas cromáticas.














Dançando a cor marrom nos conectamos com a terra e nossas raízes lembrando, também dos nossos
ancestrais.














Foi um momento de pura energia, que trouxe para consciência do "aqui e agora" a certeza da unicidade de cada uma de nós.














O verde e o laranja representou a cura pela alegria. Trouxe leveza, pois liberamos o rizo, que flui fácil em cada passo!














Passando pelo vermelho e azul trabalhamos a temperança até encontrarmos a cor rosa.














Sua percepção foi polêmica, já que a cor rosa está associada à imagem doce e frágil da mulher. Fazendo conotação daquilo que precisa ser cuidado.














Então, lembramos como é importante nos amarmos mais e cuidarmos daquelas partes mais frágeis de nosso ser. Estar em sintonia com o rosa nos mantém jovens de alma!














A cor amarela foi experimentada na dança junto com o violeta, ao som de uma música indiana.














E na cor índigo pudemos sentir toda a iluminação e transcendência do nosso ser!














No branco reunimos as cores e a nossa dança foi livre.














Brincando de colorir!














Mês que vem tem mais!














OPTCHÁ!


Nenhum comentário:

Postar um comentário