domingo, 8 de dezembro de 2013

Um bordado feminino

No dia 1 de dezembro de 2013, ocorreu a primeira Roda Cigana, em Novo Hamburgo (RS).


Muito mais que uma roda de mulheres, esse evento ficou marcado como um grande encontro.


Primeiramente, nos encontramos umas às outras. Nos sentamos para dizer e ouvir sobre quem somos e o que queremos. Dentre relatos diversos tivemos presente em cada um a forte busca pelo "ser mulher" com intensidade e profundidade. Numa abordagem feminina que não exclui o masculino, pelo contrário é receptivo a ele.


Alinhavados os propósitos, seguimos na dança que descobriu a essência de cada especiaria da Cultura Cigana. A canela vivenciada no Hino Cigano Djelem Djelem nos trouxe a sensação quente da jornada pela terra. O cravo nos levou a olhar para fora e ver além de nós mesmas. O açúcar-mascavo nutriu a nossa alma levando doçura para as partes sofridas. A noz-moscada proporcionou alegria e o anis-estrelado trouxe a esperança para seguirmos na nossa caminhada.


De forma geral, nosso encontro também foi um reencontro consigo mesma e das "coisas" escondidas nas profundezas da nossa terra. Muitas vezes, não queremos contatar com lembranças desagradáveis ou dolorosas, ou mesmo com situações ou condições onde nos sentimos com vergonha e desajustadas. Porém, essa Roda permitiu a tona dessas estruturas conscientes ou não, e possivelmente o entendimento e a transformação delas.


Por isso foi tão intenso. Cada passo, cada gesto possibilitou a acolhida da nossa verdadeira expressão, e então, formamos nessa Roda um lindo bordado feminino.


Nenhum comentário:

Postar um comentário