quinta-feira, 7 de novembro de 2013

RODA CIGANA

RODA CIGANA por Caroline B. klipel

A Roda Cigana é o símbolo máximo da Cultura Cigana presente na bandeira que identifica este Povo. Representa o ir e vir sobre a Terra, os caminhos percorridos e sofridos pelas diversas intempéries e desafios. Por isso, na Roda também está contida a fonte de conhecimento, pois em círculo os ciganos se organizam para compartilhar a sua história e sabedoria. No centro, além da fogueira que aquecia os acampamentos antepassados, está presente os valores de liberdade, união e natureza que são como eixos por onde a Roda gira e conduz a trajetória deste Povo. Em carroça ou a pé, carro ou avião, a locomoção é uma sina e por onde passam deixam seu brilho e causam encantamento. Por vezes a desconfiança nos ciganos foi alimentada pelos outros Povos sendo muitos ainda marginalizados. Talvez, por isso ainda lutam em favor da preservação e respeito da sua cultura.
Muitas voltas dá uma Roda, e muitos assuntos são trazidos à tona recheados de experiência e sentimentos. Na Roda nos encontramos sem preconceitos de raça, credo ou cor. É ambiente propício para o sentir e refletir, pois “todos” somos mais “um”, que somados formamos novamente o todo. Também é um local de trocas, onde as vivências se complementam como elos que formam uma corrente e se fortalecem.
Vivemos num tempo em que muitos valores estão esquecidos ou renegados, pois o sistema de vida que “opera” atualmente não funcionaria se baseado em ordens de fraternidade, amor e comunhão com a natureza. Essa é a razão indiscutível para tantas doenças, segregação, desperdício de recursos naturais e dificuldades de relacionamento (entre tantas outras mazelas) que encontramos no mundo hoje. Por isso é importante reconhecer o positivo e o trazer à tona em momentos breves, mas intensos, nos quais possamos novamente nos identificar como seres humanos integrantes da Terra e pertencentes a ela. Faz-se necessário esse reconhecimento para que a distância entre os valores que constroem a nossa existência nessa dimensão de vida fique mais próximos do nosso coração.
Nesse sentido, a Roda Cigana propõe, à exemplo dos ciganos, um espaço-tempo onde possamos nos conhecer e nos reconhecer na liberdade de sermos mais a essência do que a aparência; a comunhão com a natureza possibilitando o conhecimento sobre os elementos que podem servir como preventivos da saúde humana, proteção do lar, harmonização energética e muito mais; a expressão das nossas emoções pela dança e música, além do colorido das roupas, que intensificam o contato consigo mesmo e com os planos superiores divinos.

Essa é a nossa proposta, OPTCHÁ!!!


Nenhum comentário:

Postar um comentário