sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Feliz 2012, viva dezembro!

... E dezembro chega para encerrar mais um ano...

Muitas pessoas dizem que 2012 é o ano da mudança.
Mudanças daquelas coisas mais arraigadas no ser, que sem já nem perceber porquê, fazem parte do comportamento inconsciente.
Muitas teorias são levantadas e questionadas a respeito desse propósito de 2012, tanto no campo científico como no campo exotérico.
Independentemente de motivos para isto, 2012 representa o ano da mudança pelo simples fato de que as pessoas deste mundo, ou boa parte delas, decidiram e apoiaram isso!

Aceitando o fato de que este ano É o ano da mudança trava - se o desafio de mudar realmente.
Numa época em que é politicamente, socialmente, ambientalmente correto ser ecológico mudar nem sempre significa desapegar - se de algo.
Visto que a arte do desapego é deixar para trás, vagando no passado, algo que já não nos serve mais, nos liberando da responsabilidade adquirida por um dia ter se servido desse algo.
Mais difícil que desapegar - se é transformar - mudar a forma - TRANSMUTAR.

Para transmutar é necessário o comprometimento com a causa, com o verdadeiro propósito, com a intensão concreta de fazer diferente, de não repetir a dormência que nos encontramos muitas vezes.
2012, antes de tudo, é o ano da responsabilidade - habilidade na resposta - em mudar.
Toda mudança sugere movimento.

Na verdade, tudo está sempre mudando...
E o sofrimento advém naquilo que desejamos ser estáticos.
Os físicos afirmam que o universo está em expansão, logo nós também estamos, e a vida flui melhor quando compreendemos este fato.
Por isso, movimente-se, não fique parado, permita que cada parte do corpo se expanda, que a mente se expanda...

Só isso já é muDANÇA!

Feliz 2012, viva dezembro!!!


terça-feira, 4 de setembro de 2012

OFICINA DE DANÇAS CIRCULARES SAGRADAS - Polaridades III


No dia 07 de outubro de 2012, as 15h, novamente estaremos em contato com este tema que perpassa o nosso ser.

Como encontrar o equilíbrio sem antes experimentar os pólos?
A existência determina a vivência das polaridades para que escolhas e decisões sejam tomadas com base em um referencial.

Nas Danças Circulares Sagradas nosso referencial é o centro.
A roda que gira e balança atraída pelo centro está sempre amparada pelo ritmo e procura o equilíbrio mantendo a sua frequência e harmonia.

E o corpo?
O corpo executa por meio da sua estrutura o movimento. E reunindo em si a percepção dos sentidos traz neste contexto a emoção, a noção, o significado, a direção.
A importância do momento em roda está na emoção e na razão de perceber o equilíbrio sentindo e harmonizando as polaridades no tempo e no espaço!

Meditação, dança, descontração: vamos brincar com o corpo e integrar as emoções!!

Informações: 51 9639 0707  carolinebklipel@hotmail.com

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

"deixe a Vida fazer com Você o que a Primavera faz com as Flores" Pablo Neruda

A Lua Azul passou trazendo o mês de setembro. Mês da primavera, estação onde, segundo a Medicina Tradicional Chinesa, há a renovação da natureza. Neste período, se faz importante apaziguar a mente, recompensar e estimular o corpo a viver. Assim, a energia criativa possa circular de maneira fluida permitindo o planejamento e a tomada de decisões.
As oportunidades vão surgir, mas depende de você libertar-se da âncora de conceitos ultrapassados e deixar a vida seguir seu fluxo aproveitando os frutos das boas sementes que plantamos. Não se deixar iludir pelas cores brilhantes da sedução ajuda a percebermos se o rumo que estamos tomando é baseado em valores reais: amor, justiça, fraternidade, verdade... Em momentos transitórios como primavera e outono encontramos a oportunidade para avaliar o que é supérfluo no sentido material e espiritual.
Permitir-se sonhar e ir atras deste sonho se desapegando de velhos conceitos nos fará concretizá-los. Desde que estes sonhos encontrem propósito no coração e as nossas atitudes se abram para que a nossa criança interior atue. Uma dose de cautela, prudência e razão são necessárias para qualquer atitude feliz, pois não devemos nos deixar levar por qualquer impulso ou paixão. Cada um tem o seu "Poder" que realiza a ação; a reflexão o equilíbrio e  a responsabilidade nos levará ao sucesso, sem reter a felicidade só para nós mesmos, pois a vida é feita de trocas.
Se olharmos os desafios como oportunidades a serem aproveitadas o medo diminui sobressaindo-se a coragem. O medo causa sérios problemas na vida podendo levar ao isolamento de quem o sente. É importante refletir o porquê dos medos, já que são criações da mente, crenças em valores falsos. Se este for o caso, deve-se buscar apoio, pois a ação é somente sua e todos os dias é dia de recomeçar - confiança!
A vida é cíclica!
Navegue rumo à felicidade!
A primavera nos pede para cuidarmos da nossa autoestima investindo em nosso potencial e renovando os projetos de vida. Não podemos ficar presos a sentimentos que não trazem paz: perdoe-se. Relaxe e reconcilie-se consigo mesmo. Todos temos capacidade e inteligência para vencermos a vaidade, o egoísmo, a prepotência e o autoritarismo porque a "chave de qualquer obstáculo está em nossas mãos, ou melhor, em nossas atitudes.

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Dança Cigana com elemento CHAPÉU



Na oficina de dança cigana com o chapéu iremos experimentá-lo nos quatro elementos da natureza:

TERRA, ÁGUA, FOGO E AR.

Em cada um destes elementos o chapéu tem um contexto singular e será manifestado a partir da vivência na dança.

Movimentos, deslocamentos e 
posturas serão apresentados!

Além disso, trazer o conteúdo feminino reconhecendo e se apropriando do masculino na dança irá realçar a intenção e o propósito que cada um tem verdadeiramente em si para a dança com o chapéu. Sendo o masculino o pólo yang, ativo, positivo, que projeta para fora os conteúdos do interno, receptivo e negativo pólo feminino, a dança será um veículo para novas descobertas de si mesmo.

Quando a Cigana utiliza o chapéu na sua dança está representando um ideal masculino, que pode ser o pai ou algum homem importante para ela. Ela também usa o chapéu se há a necessidade de manifestar algo que promova a representação da união entre o céu e a terra, já que a Cigana dança com os seus pés descalços. Ou seja, a concretização e realização no plano material de uma ideia ou propósito.

O Cigano, quando utiliza o chapéu na sua dança, demonstra maturidade e respeito pelas forças entre o céu e a terra ao manter sua cabeça coberta. Se estiver dançando com a cigana pode utilizá-lo no gestual para cortejar, revelar as suas intensões e proteger a Cigana.


A Oficina de Dança Cigana com o elemento Chapéu será sábado, dia 01 de setembro de 2012, as 14h. Na Casa Z Cultura e Dança Cigana, em Novo Hamburgo.

Melhores informações: 51 9639 0707 ou carolinebklipel@hotmail.com

OPTCHÁ!

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

31 de Agosto - LUA CHEIA, Lua Azul

... tens que abrir a mão se queres pegar a água...


É chamada de Lua Azul a ocorrência de uma segunda lua cheia em um mesmo mês. Este evento acontece uma vez a cada 2 ou 3 anos. Neste ano, 2012, teremos este evento no dia 31 de agosto. E o próximo acontecimento está previsto para 2015. O termo lua azul surgiu no século XVI, porque as pessoas a viam azulada ou cinza. Devido a extensa periodicidade com que ocorre o evento o termo também passou a designar situações impossíveis!

Acontecimento de muita força magnética e poder espiritual, pela plenitude da fase lunar. É considerado um tempo entre os tempos, onde se torna mais fácil alcançar o mundo entre mundos. Sendo a Lua Cheia o momento em que Ela se deixa inundar pela  luz  Solar, forma-se  na Lua Azul a capacidade mais plena e
absoluta geradora de nosso Planeta. Neste período, a colheita é mais farta, o poder é maior, os resultados são mais rápidos. Cuidado com o que você pedir, poderá acontecer!

O ano de 2012 soma 5 e faz parte de vários movimentos cósmicos que formam o marco para evolução  humana. Com o cinco introduzimos a ideia de velocidade, de movimento; e como esta é a relação entre o espaço e o tempo, podemos dizer que estamos criando o novo tempo. Inspiração, compaixão e sensibilidade são necessárias para esta construção. Quanto mais nos mantivermos abertos e puros, sendo verdadeiros em nossas intensões apoiadas na energia do amor crístico, melhor preparados estaremos para as transformações que se seguirão daqui por diante.

A liberação de velhas feridas traz a necessidade do perdão, o auto-perdão. As mudanças de 2012 estão atuando para expandir a consciência humana dissolvendo e desintegrando as ilusões. É importante aceitar e compreender este importante processo ao qual estamos passando para que o verdadeiro eu possa emergir em unidade com os propósitos divinos. Portanto, vamos aproveitar essa Grande Lua Azul e refletir, reavaliar, aceitar e perdoar a si mesmo, em primeiro lugar. E nos colocar à disposição dessa energia cósmica e receber a prosperidade de que somos merecedores!

Eu convido à todos, que quiserem participar de um momento coletivo, para uma aula aberta de Dança Cigana em celebração a Lua Azul, no dia 31 de agosto de 2012, 19h e 30min, na Casa Z Cultura e Dança Cigana, em Novo Hamburgo - RS.

Melhores informações: carolinebklipel@hotmail.com

Tragam os seus corações e venham comemorar conoscco!!!

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

A Dor faz parte, o Drama é opcional

Este texto à seguir foi retirado do jornal Bem Estar, n°53, agosto de 2012.Resolvi postar tal como está no jornal, pois nele já está contido tudo o que eu penso a respeito deste tema. E tenho me deparado constantemente com pessoas trazendo este questionamento: Sofremos por quê?Lembrando que todos os dias temos novas oportunidades de mudanças, de planejamentos e realizações, basta escolhermos sermos felizes e estarmos em comunhão com o propósito divino pertinente a cada um. Parece fácil, mas requer compromisso e transpiração, disciplina, amor e humildade!


"Esquivando-se do sofrimento perdemos também a felicidade. A dor é inevitável. O drama é opcional.


Definitivo, como tudo o que é simples: nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.Porque sofremos tanto por amor?O certo seria a gente não sofrer. Apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz.

Sofremos por quê?

Porque automaticamente esquecemos tudo o que foi desfrutado com ela e focamos nos aspectos irrealizados, passamos a sofrer pelas nossas projeções, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido e não conhecemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados pela eternidade, não em tantos que beijamos.

Mas, poderíamos ser agradecidos por tudo o que vivemos com uma pessoa que amamos e nos amou, não é? Porque tantas coisas boas vividas com alguém não geram sentimentos de dádiva e agradecimento?

E no trabalho? Sofremos não porque é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ir no cinema, conversar com amigos, nadar, namorar. Podemos melhorar nosso trabalho? Podemos. (Ou então mudar de trabalho). Porque escolhemos a queixa e o sofrimento?

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender. Procuramos entendê-la ou simplesmente lamentamos por ela não poder ser tudo o que esperamos e idealizamos?

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada. Mas, vale a pena sofrer pela derrota de um time num esporte em que vencer ou perder é a graça de tudo?! Criamos dor em algo tão superficial, por quê?

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar. Mas, quantas coisas interessantes podem ser vividas com uma idade mais avançada e novamente não estão sendo cogitadas...

Como aliviar a dor do que não foi vivido?!

A resposta é simples como um verso: se iludindo menos e vivendo mais!!!

A cada dia que vivemos mais poderemos nos convencer que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nos faz não arriscar.

Por medo de sofrer não nos arriscamos a viver.

Esquivando-nos do sofrimento perdemos também a felicidade.

A dor na vida é inevitável - ninguém nunca afirmou ser possível viver sem sofrer. Já o drama é opcional."

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Oficina de Dança Cigana - CHAPÉU



A História do CHAPÉU - e algumas curiosidades também

O chapéu é um item do vestuário que surgiu nos povos primitivos aproximadamente 4.500 anos a.C. Inicialmente, foi criado para proteger a cabeça das intempéries do tempo - sol, chuva, frio. Mais adiante, este adereço passou a ser utilizado para a caracterização do sexo masculino salientando a sua responsabilidade pela defesa da tribo. Posteriormente, foi associado aos níveis sociais: os reis usavam coroas, os sacerdotes a mitra e os guerreiros o elmo.



Tanto masculino quanto feminino, o chapéu foi fortemente influenciado pela moda adquirindo, ao longo do tempo, diversos formatos e associando-se à uma função social, profissional ou cultural. Dessa forma, ele se tornou em um importante elemento que caracteriza a personalidade de uma determinada pessoa pela sua forma, cor e material. Houve períodos na história que a etiqueta indicava a nenhum senhor, senhora, nem mesmo uma criança ousar sair de casa sem o adorno.



O uso do chapéu na dança segue a expressão cultural e figurativa da vestimenta que caracteriza uma determinada região. Por exemplo: no Samba de Gafieira diz-se que, antigamente, o malandro da Lapa fazia uso de um terno branco, sapatos preto e branco, ou marrom e branco e, por debaixo do paletó, camisa preto e branca ou vermelha e branca, listradas horizontalmente, além de um Chapéu Panamá ou Palheta. Já, no tango os homens usam camisas de seda e calças com corte afunilado nas pernas. Chapéu, que pode ser de dois tipos: o chambergo tem abas longas e fica meio de lado na cabeça do homem, cobrindo um dos olhos. Ou, o funghi, que vem de fungo, possui abas curtas e era mais usado pelos homens da periferia.



Simbolicamente, o chapéu representa um significado muito especial, pois este ocupa o lugar mais alto do corpo: a cabeça. Por estar mais perto do céu e sediando o consciente/inconsciente a cabeça é considerada a capital do corpo. Sendo assim, ele protege tanto a cabeça (sol) quanto o seu conteúdo. Exerce uma função intermediária entre o céu e a terra protegendo o próprio indivíduo dos seu extremos, a água e o fogo. Sugere a capacidade de concretização e realização das idéias assumindo uma natureza masculina, forçando o indivíduo a assumir e a integrar os seus propósitos internos com o mundo externo.


terça-feira, 24 de julho de 2012

Vivência Cigana - Uma tarde de MAGIA

Um convite especial para você, que adora alegria, descontração, novas experiências, música, dança, momentos mágicos.

Venha vivenciar uma tarde de magia inesquecível, em meio a uma natureza exuberante!

Experimente saborear a excelente culinária cigana.

Participe do sorteio de consultas de tarô, cartas ciganas e muitos brindes....

Veja no blog as fotos da primeira edição do evento:
" Uma tarde de magia", em 2011: http://www.espacosaintgermainsl.blogspot.com.br/

Desconto especial para os primeiros 50 ingessos vendidos.


Contato: eslocks@gmail.com ou 9639 0707 (Carol)

Data: 30 de setembro - 15h

Local: Sede AABB - São Leopoldo

Será um prazer recebê-lo nesse evento!

terça-feira, 10 de julho de 2012

Oficina de Dança - Jornada Terapêutica - Música e Dança do Povo Cigano



Serão 5 módulos com duração de 2h cada um. Iremos aprender passos e gestos, movimentos de saia, instrumentos ciganos utilizados na dança e simbologias. Entraremos em contato com a magia da dança, pois as oficinas têm caráter vivencial onde os temas citados serão abordados através da livre expressão que a Dança Cigana permite!
Em cada módulo será entregue um cd com 10 músicas para cada participante com as músicas trabalhadas no encontro, totalizando ao final da jornada um acervo com 50 músicas ciganas de várias partes do mundo!

A carroça está pronta para partir e percorrer locais por onde os ciganos passaram através da música e da dança. Traga na bagagem tudo aquilo que a sua imaginação sugere sobre a vida cigana: lenços, fitas, flores, leques, pandeiros, pulseiras, cores...
Esteja disposta para a ENTREGA, EMOÇÃO, FORÇA, ALEGRIA, INTERAÇÃO, DOAÇÃO, SINCRONICIDADE, SENSUALIDADE.
Enfim, vamos brincar, desapegar daqueles sentimentos nocivos e soltar a alegria. Deixar a alma falar: descobrir o encoberto fluindo pelos passos e gestos nos diversos acordes da rica musicalidade cigana!

Datas:
15/07/2012 - primeiro módulo - Índia e Rússia;
29/07/2012 - segundo módulo - Hungria, Itália e Romênia;
12/08/2012 - terceiro módulo - Egito, Espanha e Brasil;
26/08/2012 - quarto módulo - Xale, Leque, Rosas, Pandeiro, Fitas, Lenços e Chapéu;
02/09/2012 - quinto módulo - Vivência: os quatro elementos (terra, água, ar e fogo) e entrega dos certificados de participação.

Valores:
270,00 reais - pagamento a vista;
300,00 reais - pagamento em duas vezes de 150,00;
330,00 reais - pagamento em três vezes de 110,00.

Melhores informações: (51) 9639 0707
carolinebklipel@hotmail.com ou luxor.cha@gmail.com

terça-feira, 19 de junho de 2012

Oração em Movimento

Marie Gabrielle-Wosiem tem razão quando diz que dançar é uma oração em movimento.  "O riso, a dança e a alegria são os três arcanjos que nos acompanham no caminho em direção a Deus - explica um monge sufi para um padre cristão - Dançar extingue o ego e libera o caminho em direção a Deus". (Nikos Kazantzakis).

Semanalmente, observo a dimensão das palavras acima. Todas as terças de manhã, as nossas rodas têm sido  preenchidas com riso, dança, alegria e oração em movimento. De uma forma leve, agradável, preparamos nosso corpo para receber o movimento: alongando, esticando, articulando cada partezinha, levando oxigênio para todos os confins internos e retirando deles as toxinas que por lá estiverem instaladas. Como fazemos isto? Com a disposição da nossa mente!

Daí, partimos para a experimentação dos movimentos - passo junta passo, passo junta passo, giro, e... pára-giro, brincando de dançar o corpo assimila aos pouquinhos a roda que iremos formar adiante. Cada uma de nós buscando a leveza, o equilíbrio que iremos precisar para aquela música, para aquela mandala. É muito divertido... Em alguns momentos conseguimos estender nossa compreensão das dificuldades superadas à níveis emocionais do tipo quando eu era pequena tropeçava nos próprios pés..., eu nunca tive muita paciência para isso ou aquilo, sempre fui lenta e as pessoas reclamam até hoje... E, num repente percebo o valor do círculo que encerra, contorna, apoia, permite estarmos num ambiente solidário - com paixão - compaixão.

Já em círculo, mãos dadas, iniciamos a dança ao som que orienta o ritmo dos nossos passos. Lentamente, a roda se organiza. As emoções que estavam agitadas, eufóricas, e até desconfiadas, entram na ordem do ritmo. Seguindo a coreografia que sempre se repete, é simples, tem graça, surge a oração. É mágico! No início dançamos com os pés, mas em algum determinado momento passamos a dançar com o coração.

E ao final, deixamos que o silêncio manifeste esta conquista, a cada manhã de terça-feira...

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Querer mudar já É uma mudança!

Não costumo postar o tipo de informação astrológica abaixo.
Mas, em sintonia com tudo que ando observando ao redor, partindo de mim, passando pelas pessoas que conheço e convivo, percebendo transformações de cenários até mesmo urbanos, enfim, o TAL 2012, com seus alinhamentos sugeridos...
Quando li isso no blog http://astrologa-marilza.blogspot.com.br, pensei: isso tudo transcende este dia!




Céu do Dia: 14 de Junho de 2012
Quinta Feira
Lua Minguante – (13h22)Signo de Touro
LFC Até 13h22



Lua continua minguante, retraindo, contraindo, interiorizando. A força do inconsciente agora está mais intensa. Lua minguante cura, cicatriza, desintoxica, fecha, e comprime. É um bom período para fechar pendências, conflitos, fechar a página, o livro, nos preparar para uma nova história que começar na próxima Lua Nova. A Lua até 13h22 estará fora de curso no signo de Áries, indicando uma manhã ainda de certo stress, correria, sentimentos urgentes, necessidade de agir, como a Lua está fora de curso evite tomar iniciativas e controlar o excesso de ansiedade, Lua foras de curso em Áries pode nos levar a tomar atitudes sem reflexão. No período da tarde tudo se tranqüiliza e poderemos estar mais preparados para nos posicionar diante qualquer situação.


A lua no signo de touro nos leva a ter preocupações com o mundo material, com o lado prático, existe mais paciência, menos pressa, nosso foco é a estabilidade, segurança. Lua minguante no signo de Touro favorece a organização, a perseverança. Lua em Touro temos percepção das nossas verdadeiras satisfações, queremos tudo que é palpável, real. A partir das 17h41 Lua faz sextil com Netuno, favorece inspirações artísticas, a sensibilidade com a forma, a cor, o som, o cheiro, o paladar.

No geral o céu não está tão tranqüilo assim, Sol quadra Marte o que leva a ansiedade, dificuldade de manter o foco. Mercúrio na oposição com Plutão pode dar a certeza que não é o futuro que nos preocupa, é o passado que vem e nos esmaga . Na quadratura Júpiter com Netuno, somos testados pela fé, o desejo de um milagre pode acabar levando muitas pessoas a tomar atitudes sem fundamentos reais, a busca da fantasia para fugir do mundo verdadeiro, der falso gurus, profetas que se aproveitam desse tipo de situação.

Por outro lado Sol em harmonia com Saturno favorece a estabilidade para quem estiver acreditando que o trabalho sim faz grandes milagres. Vênus em acordo com Urano, mudanças positivas estão a caminho para quem estiver aberto para um novo cenário, preparado para inovações, e tiver coragem para abandonar o velho o ultrapassado.

O céu do dia nos da possibilidade de cair no mundo real, fechar pendências, concluir projetos, aceitar o que não pode ser mudado. É hora de encarar as nossas limitações. Mercúrio/Plutão fornece um arsenal de sentimentos de culpas, crescer é aceitar os erros sem sentir culpado, mas tomar uma atitude com relação a eles. Perdoar é a melhor forma de se livrar da culpa, e perdoar o outro é a única maneira de nos perdoar. Mercúrio em Câncer Sol em Gêmeos, vem nos lembrar que a cabeça fica acima do coração porque podemos determinar nossas emoções e sentimentos por meio do nosso pensamento e consciência. Devemos saber se os nossos desejos estão no caminho certo (Sol/Saturno) e não no caminho mais fácil (Júpiter/Netuno) . Não use traumas do passado (Mercúrio Câncer Urano/Plutão) para justificar erros do presente. Aceite suas falhas e peça ajuda quando precisar. Tem que ser forte para se mostrar fraco.

Querer mudar já é uma mudança, o mais importante na vida não é o que realizamos, mas tudo que superamos para continuar nossa história.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

REVOLUÇÃO DA ALMA - Aristóteles

Revolução da Alma

Ninguém é dono da sua felicidade, por isso não entregue a sua alegria, a sua paz, a sua vida nas mãos de ninguém, absolutamente ninguém.
Somos livres, não pertencemos a ninguém e não podemos querer ser donos dos desejos, da vontade ou dos sonhos de quem quer que seja.

A razão de ser da sua vida é você mesmo.
A sua paz interior deve ser a sua meta de vida; quando sentir um vazio na alma, quando acreditar que ainda falta algo, mesmo tendo tudo, remeta o seu pensamento para os seus desejos mais íntimos e busque a divindade que existe dentro de si.

Pare de procurar a sua felicidade cada dia mais longe.
Não tenha objetivos longe demais das suas mãos, abrace aqueles que estão ao seu alcance hoje.
Se está desesperado devido a problemas financeiros, amorosos ou de relacionamentos familiares, busque no seu interior a resposta para se acalmar, você é reflexo do que pensa diariamente.

Pare de pensar mal de si mesmo, e seja o seu próprio melhor amigo, sempre.
Sorrir significa aprovar, aceitar, felicitar.
Então abra um sorriso de aprovação para o mundo, que tem o melhor para lhe oferecer.
Com um sorriso, as pessoas terão melhor impressão sua, e você estará afirmando para si mesmo, que está "pronto"para ser feliz.

Trabalhe, trabalhe muito a seu favor.
Pare de esperar que a felicidade chegue sem trabalho.
Pare de exigir das pessoas aquilo que nem você conquistou ainda.

Agradeça tudo aquilo que está na sua vida, neste momento, incluindo nessa gratidão, a dor.
A nossa compreensão do universo ainda é muito pequena, para julgarmos o que quer que seja na nossa vida.

"A grandeza não consiste em receber honras, mas em merecê-las." (Aristóteles)

quarta-feira, 30 de maio de 2012

Flores em Movimento - dança na terceira idade... a melhor!

Primeiro entramos, depois de nos cumprimentar, tiramos os sapatos...
Já estamos em roda, nos reconhecendo, as vezes sorrindo, as vezes nem tanto!
Respiramos fundo, alongando o corpo, relembrando memórias, desafiando o tempo...
Ensaiamos os passos, estamos nos divertindo, as vezes erramos, as vezes nem tanto!

E começa o baile, ainda ajustando o ritmo, concentração...
Flexibilidade para dobrar os joelhos, balançar os quadris, soltar os braços!
Seguindo na direção, mantendo o foco, a roda gira...
Ao final, trocamos convivência, experiência, respiração!

Momento para relaxar.


quinta-feira, 3 de maio de 2012

24 de maio, SANTA SARA KALI

Dia 24 de maio é dia de Santa Sara Kali, a padroeira dos ciganos, cuja história contarei em outro momento. Por enquanto, vou relatar sobre a minha experiência pessoal a respeito da Cultura Cigana.
Recentemente, estive no circo. Enquanto assistia ao espetáculo que envolvia dança, música, acrobacias, equilibrismo, humor, graça, beleza... e outros atributos mais, que agora não me saltam na consciência, pois na memória guardei a emoção daquele momento, pude fazer uma reflexão sobre a trajetória dos ciganos pelo mundo. Me transportando à tempos remotos, fui imaginando como seria viajar numa carroça ou a pé. Sofrer as intempéries do tempo e tudo mais que está condicionado a ele, fugir de perseguições, articular com povos desconhecidos para garantir a sobrevivência, preparar a comida e se preparar para a falta dela, carregar os pertences no corpo de forma a se confundirem com adornos de beleza, experimentar a vida e a morte transportada pelos caminhos onde os ventos podem levar. Diversas situações complicadas podem se apresentar durante esse percurso, mas ainda assim, os ciganos conservam a intensidade das cores, a profundidade do olhar, a postura firme, o fervor das emoções, a alegria na simplicidade...
E assim seguia o espetáculo: uma dançarina demonstrando a elasticidade do seu corpo, outro artista capaz de empilhar inúmeras caixas e por fim subir nelas, palhaços divertidos arrancando gargalhadas da plateia, uma apresentadora sedutora o suficiente garantindo a atenção do público... O pessoal do circo, assim como os ciganos pelo mundo à fora, viajam com seu espetáculo sofrendo as intempéries do tempo, na intensão de desenvolverem seu trabalho e garantirem a sua sobrevivência digna.
Para nós, enquanto platéia, cabe valorizar a arte, o brilho, a expressão. Deixar a fantasia delirar, soltar aquela criança interior que insistimos aprisioná-la. Reconhecer e aceitar a magia da vida, da natureza, da diversidade!
É por isso que escolhi essa dança para me libertar das prisões as quais me coloco - muitas vezes sem querer. Na dança cigana encontrei a alegria, o colorido, o feminino, a possibilidade de ser algo diferente do que o mundo cria como expectativa sobre mim. Se estou triste por alguma razão, ou sem razão nenhuma, posso me expressar de forma livre. A diversidade musical na cultura cigana é tão ampla, por isso encontro espaço para manifestar todos os meus sentimentos. Por tudo isso, sou grata ao que aprendi sobre a Cultura Cigana. Desejo e espero que os ciganos do mundo inteiro sejam respeitados no que tange a preservação da sua cultura, a garantia das suas necessidades básicas, direitos e deveres, assim como todos os seres deste mundo merecem exercer a sua identidade.


segunda-feira, 30 de abril de 2012

OFICINA DE DANÇAS CIRCULARES SAGRADAS

As Deusas Gregas e a Mulher Atual - Uma Jornada em Dança Circular...
Nova data: 06 de maio de 2012, as 9h.
Investimento: 95,00 reais, incluído cd com as músicas e material digital sobre os arquétipos das deusas apresentadas.

Nesta oficina vivenciaremos o arquétipo de cinco deusas da mitologia grega: Ártemis, Afrodite, Deméter, Atenas e Perséfone. Através da dança circular sagrada, transitaremos de uma para outra reconhecendo suas faces em cada uma de nós. Proporcionando o autoconhecimento, as trocas de experiências, a amizade e a valorização do elemento feminino!

Seja uma integrante desta roda!

Informações: (51) 9639 0707, 9215 9086.


terça-feira, 17 de abril de 2012

DANÇA CIGANA, em Ivoti, Encontros Semanais - II

Nas aulas de Dança Cigana que estão acontecendo todas as quartas-feiras, as 8 horas, em Ivoti-RS, aprendemos os diversos estilos de dança cigana: Espanha, Hungria, Rússia, Índia, Egito... e muito mais ;))!

Com duração de uma hora, a aula tem como objetivo principal vivenciar, expressar nossos sentimentos e emoções através do movimento. Assim, promovendo uma melhora significativa na forma como nos manifestamos e nos comunicamos com o mundo.

A dança cigana amplia a consciência corporal, melhora o ritmo do organismo, aumenta a auto-estima, promove a identificação e interação grupal, desenvolve a cultura em geral, é alegre, intensa, colorida...

Vamos movimentar o feminino e nos conectar com a nossa essência!!!

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Oração da Mulher Sagrada

Oração da Mulher Sagrada 


"Sagrada Força Feminina te saúdo e sinto tua presença se manifestando em meu Ser
... Através de meus pensamentos, palavras e ações
Deixo que a Divina Presença da Mãe Cósmica me oriente com sua infinita sabedoria
Ela está chegando, sinto sua Dança!
Ela está falando, ouço sua canção de Amor!
Ela está dentro e fora nas coisas mais simples e por isso perfeitas 
E seu templo sagrado é meu corpo de Mulher
Seu pensamento agora é meu pensamento
E só penso em Amor, Só sinto Amor , E só vejo Amor
O mundo que percebo é fruto da minha percepção de Amor
E assim crio a minha realidade
Abençoo meu dia e honro minha Deusa de mil nomes 
E assim crio a magia que me ilumina e protege
Saúdo a noite e honro minha Mãe Lua, suas sagradas fases comandam meu corpo de mulher
E assim me preservo saudável e com meus ciclos femininos em perfeita harmonia
Saúdo a Incognoscível, e assim honro e preservo meu poder oculto
Saúdo as Forças da Natureza para que a Mãe Terra me proteja
E me oriente no Norte, no Sul, no Leste e no Oeste
Honro a terra onde piso, a água que bebo e o meu alimento,
Pois sei que tudo que fizer a esta Terra voltará para mim e para meus descendentes
E assim me conecto ao coração de Gaia e a sua proteção maternal
A Deusa cuida do meu corpo e da minha alma
E assim estou em perfeita sincronia com o Universo
Do meu coração flui seus ensinamentos, suas palavras de sabedoria e sua força infinita
E assim realizo minha divindade humana
Em minha alma o Sagrado Feminino e o Sagrado Masculino se uniram em Amor e Êxtase
E assim descobri o equilíbrio onde o ser humano deve estar
Todo o Amor que nutre minha existência vem da Fonte Divina
Por isso não preciso que nenhum ser humano o faça por mim
A Deusa abençoa meu corpo com seus sagrados encantos
E assim a beleza da minha Alma se reflete em meu corpo feminino
Da minha mente fluem os pensamentos e a criatividade
Que fazem minha existência ser especial e singular
E assim realizo minha vocação maior
Preservo meu coração limpo e leve como uma pena 
E assim me permito ser livre e feliz para sempre
E que Assim Seja, porque Assim É"

sábado, 24 de março de 2012

DANÇA CIGANA, em Ivoti, Encontros Semanais

A partir do dia 11 de abril de 2012, em Ivoti, iniciará os encontros de Dança Cigana com a professora Caroline B. Klipel, os quais irão acontecer todas as quartas-feiras, as 8 horas da manhã.


O objetivo é promover a integração entre as mulheres restaurando no íntimo de cada uma a sensação de pertencimento ao grupo. Será um momento de trocas e vivências para o exercício do elemento feminino conduzido pela música e a dança cigana.

Cada encontro é único, ou seja, será construído a partir das necessidades que as participantes apresentarem. Vamos aprender técnicas de dança de diversos países e conhecer músicas da Índia, Rússia, Hungria, França, Egito, Espanha..!

Por meio de dinâmicas e atividades dirigidas vamos ampliando a consciência corporal e traduzindo os sentimentos em movimentos, então, nos comunicando verdadeiramente.
Todas estão convidadas para este momento inaugural!

segunda-feira, 12 de março de 2012

um CAMINHO de muitas TRILHAS

O AMOR é o caminho de volta para a unidade. Ponto central - fundamental - que dissolve todas as possibilidades do mundo dual/polar. Tudo é amor. Mesmo nas manifestações negativas é possível encontrar a face do amor e optar por segui-lo. 

Manter-se no caminho do amor requer disciplina; e ninguém até hoje confirmou que é difícil. Apenas se sabe que é um exercício constante de não ceder aos encantos do poder, do controle, do medo, da raiva... O que você tem criado para sua vida? O que você quer criar para amanhã? “Uma vida feliz, escolhida por você”. Como? Imaginando, sonhando, desejando, querendo, escutando a sua voz interior, conhecendo seu ritmo, respeitando suas vontades, reconhecendo sua sombra, se relacionando, estando integrado. Inúmeras possibilidades de retorno, todas elas faces de uma única energia – AMOR.

Experimente sentir e entrar em contato com seu verdadeiro EU. Concentrando seu pensamento naquilo que realmente importa: VOCÊ. Reconhecendo quem somos, nossas qualidades e defeitos, vitórias e derrotas, olhando a trajetória da vida com humildade assumimos a responsabilidade e o compromisso com o amor próprio. Ser FELIZ é uma arte que requer criatividade, fluência, benevolência, alegria, coragem, confiança, generosidade, otimismo, humildade, dinamismo, agilidade, responsabilidade, movimento... Ufa... realmente precisamos de uma vida inteira para tantas faces do amor!

A dualidade na qual estamos inseridos nos instiga a todo o momento re-planejar as nossas estratégias oferecendo possibilidades nem sempre observadas no início do percurso. O sucesso depende do quanto somos capazes de manter a coerência com o propósito individual sem lançar mão de artifícios estáticos como o controle, a manipulação, o medo. É fundamental aprender a reconhecer a intuição e entregar-se a ela. A única segurança real de tudo o que acontecerá está no que ela diz ou te faz sentir. Quando bloqueamos esta faculdade do nosso ser nos tornamos amargos e insatisfeitos porque estamos silenciando própria voz.
 “Há quanto tempo você não se senta à beira de um lago com um montinho de pedras?
Anda muito ocupado, que pena! Não desista de você mesmo.
Não se esconda no corre-corre da vida. Encontre uma forma de acordar seu coração.”
 Desempenhamos múltiplos papéis, e estamos sempre envolvidos com as nossas metas. Nesse sentido, a integração de todas as partes e contrapartes do EU são essenciais para que possamos traçá-las. Aceitar a sombra e integrá-la é sentir os seus efeitos não se esquivando dos desafios e das experiências muitas vezes difíceis na vida. Porém, sem perder o contato com a luz interior.

sábado, 10 de março de 2012

SAGRADO FEMININO - As Deusas Gregas e A Mulher Atual, uma jornada em Danças Circulares

As Danças Circulares Sagradas e o Elemento Feminino

O contato com o elemento feminino nas Danças Circulares Sagradas é muito interessante!

Numa roda todos ocupam uma posição solidária. Estão todos lado a lado compartilhando aquilo que cada um tem de melhor em si. Apoiados pelas mãos ou pelos ombros e reunidos em torno de um centro as pessoas criam coragem para expressarem quem realmente são. Acertar o passo é importante, mas fundamental é deixar fluir. Sentir e compartilhar. Vivenciar a experiência microcósmica de encontrar o eixo, respeitar o próximo, sentir a energia em movimento. Eu Sou a Luz em movimento - já diziam os sábios mestres. Dançando percebemos essa verdade, pois a dança nos convida à nos entregarmos ao fluxo de uma melodia.

É um caminho para a manifestação da essência quando vivenciada na sua plenitude. Contrair para descontrair - respirar... É preciso mais do que somente executar uma coreografia. Estamos falando de transpiração. Expirar - respirar - transpirar - a leveza se atinge quando permitimos entrar em contato com o macrocosmos. Renunciamos aos nossos egoísmos e nos permitimos experimentar a liberdade, a celebração, a ordem, a união. Já não são apenas passos... São propósitos!

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Mensagem de Esperança

Recebi por email esta mensagem sobre a Esperança de uma amiga e acho interessante divulgar:

Quanto maior a escuridão ao seu redor, mais necessária será sua luz interior. Sempre que você estiver entre pessoas zangadas, ressentidas, desanimadas ou cínicas, é quando você pode fazer a grande diferença e se manter positivamente centrado. 

Claro que não é fácil. Com freqüência reagimos à negatividade sendo negativos também. Com isso, conseguimos apenas piorar a situação. Mas você tem a opção de não reagir. Você tem a opção de seguir seu próprio curso. Só porque as pessoas ao seu redor agem negativamente, não significa que você também deva agir dessa forma.




Quando todos ao seu redor estiverem frustrados e impacientes, esforce-se ao máximo para manter a calma e a compostura. Quando todos ao seu redor estiverem zangados, esforce-se para ser a voz da razão e da compaixão. Quando todos ao seu redor estiverem desanimados, ofereça a esperança.
 "Seja diferente, faça a diferença!"
 "PAZ NO MUNDO"

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

As Oito Fases Lunares


O Ciclo das Oito Fases Lunares

por Sandra e David Mosley


A observação dos ciclos solares e lunares são a base da astrologia. O estudo destes ciclos e das suas fases dão um nível mais profundo de compreensão de todos os aspectos planetários. Ainda que mais frequentemente associada ao ciclo lunar, a divisão de oito fases é utilizada em muitos ensinamentos espirituais e pode ser aplicada em qualquer dos ciclos da vida.
Deve-se ter em conta que quando se trabalha com os pares planetários, o planeta mais lento descreve o tema do ciclo e o mais rápido como se realiza.
A função de cada processo cíclico é sugerida pelo simbolismo dos planetas e/ou luminares envolvidos. Por exemplo, o movimento da Terra e do seu satélite, a Lua ao redor do Sol, estabelece o ritmo e marca os passos na dança da Vida. Simbolicamente a nossa espiritualidade (Sol) manifesta-se (Terra) através da ajuda da alma (Lua). Cada ciclo solar é a expressão do nosso propósito espiritual. A Lua, no seu ciclo ao redor da Terra, reflecte a nossa experiência de vida diária. Cada ciclo lunar tem a ver com a nossa resposta às necessidades colectivas.



As Oito Fases Lunares
Simbolicamente, o número 8 significa Manifestação, Forma e Realidade Física. Ao trabalharmos com as oito fases como etapas de desenvolvimento de um ciclo, isso leva-nos a ver a vida como um processo, enfatizando a continuidade e a evolução.
Uma fase é uma etapa no processo de finalização. A função de cada etapa num ciclo é apoiar a próxima e continuamente assim até ao fim, para que o ciclo possa começar uma vez mais e continuar o seu avanço.
O tipo de energia que funciona nas fases alterna-se entre Activa e Receptiva. Como é um sistema, nenhuma das fases funciona por si só. Junto com o que vem antes e o que virá depois, cada fase tem também uma fase de ligação. Cada fase Activa liga-se com uma fase Receptiva. Existe sempre ecos e repercurssões.
As fases Activas são directas. Fazem-se escolhas e dirigem-se ao mundo exterior. São fases formativas que definem a saída do ciclo.
As fases Receptivas são complexas. Junta-se a informação quer das consequências da atividade anterior, como a antecipação da atividade futura. São fases mutáveis, onde as mudanças ocorrem internamente e planificam-se acções de ajuste.


Fase 1 - NOVA

A fase Nova é Ativa e Espontânea. É sobre a descoberta de si próprio, de começos e intenções. Esta fase envolve o corpo emocional. Paixão, desejo e excitação qualificam a saída deste ciclo. Nesta etapa existe um mínimo de consciência e de conhecimento. A inocência dá-lhe uma qualidade de pioneira.
A energia desta fase relaciona-se com a visão, interior e exterior. Como não se pode ver todo o panorama, é um momento de vulnerabilidade e dúvida. É necessária uma acção visionária. A função desta fase é dar conta da intenção, mas à frete virão as oportunidades de rever e reorientar.
Durante esta fase Nova formule a sua intenção, foque-a e actue. A pergunta é? Que desejo? È importante que estabeleça qual é a sua meta, torne-a emocionalmente satisfatória. Deve criar uma representação visual dela, a qual possa olhar durante todo o ciclo. Seja claro quanto ao que deseja, sem ter em conta se pode obtê-lo. Confie em si e no seu potencial para se manifestar, Tenha confiança na sua habilidade para aprender e adaptar-se.


Fase 2 - CRESCENTE

A fase Crescente é Receptiva e Deliberativa. Tem a ver com o desenvolver de recursos para proteger e sustentar a visão da Nova. Esta fase pertence ao corpo instintivo. Intuição, reflexão e mecanismos de sobrevivência básica preservam a ação estabelecida durante a fase Nova. Nesta etapa é tomado o compromisso de responsabilizar-se para atingir a meta desejada.
A energia desta fase é estimulada pelos sentidos do paladar, do olfacto e do tacto. Existe uma luta para reunir a informação adequada que apoie o desenvolvimento continuado do ciclo. É de importância vital compreender a motivação que está por detrás do desejo para a função de planear a sua obtenção.
Durante a fase Crescente abra-se à informação e planifique a sua acção. Pergunte-se: Que necessidade preenche os meus objectivos? E Como posso garantir que a sobrevivência da minha visão? Deixe-se guiar pelos seus instintos. Desfrute das suas comidas favoritas. Relaxe num banho de essências. Abrace-se muito. Reveja os seus recursos, encontre as qualidades daqueles o podem ajudar a ter êxito.


Fase 3 - PRIMEIRO QUARTO

O Primeiro Quarto é Ativo e Impetuoso. Tem a ver com o separar-se e procurar a individualidade. Esta fase envolve o corpo sensação-movimento. A ideia é usar o movimento do corpo para gerar energia que possa ser canalizada na sua expressão criativa. Nisso existe uma sensibilidade que pode ser expressa ao extremo de chegar a mostrar o próprio coração, sem o poder evitar.
Existe frequentemente uma sensação de não ser compreendido. É importante ir mais além da necessidade de aprovação dos outros. A atividade durante esta fase deve ser a de largar qualquer obstáculo para que a perspectiva da Nova fase tenha espaço suficiente para se desenvolver e crescer. A função desta fase é a de criar uma base segura.
Durante o Primeiro Quarto faça o que sinta ser correcto. Façam com que as suas acções expressem os seus sentimentos e a sua independência. Deixe o passado para trás. A pergunta é: Que posso fazer agora para iniciar a actualização da minha perspectiva para este ciclo? É importante pôr-se em movimento. A acção física é a chave desta energia de iniciação. Estique-se, dance ou faça algum tipo de ginástica para aliviar essa sensação de bloqueio.


Fase 4 - CORCUNDA

A fase Corcunda é de Receptividade e Discernimento. Tem a ver com o desenvolvimento de ferramentas e técnicas que sirvam a visão original. É um ponto pivô no ciclo. Está ligada diretamente com a fase Nova, e uma vez mais relaciona-se com o corpo emocional. É recebido o primeiro 'feedback' em relação à meta do ciclo em curso.
Nesta etapa analisa-se a informação a aplicar. É o momento de questionar tudo e procurar novos métodos que maximizem a eficiência.
A energia nesta fase está relacionada com a visão (perspectiva) interior e exterior. Ainda não é possível ver o quadro no seu todo. Existe uma luta entre largar o julgamento e aprender a acreditar em si próprio. A confiança da visão interior desperta o poder de criação. A função desta fase é ter confiança em si mesmo.
Durante a fase Corcunda filtre e analise toda a informação que tinha obtido em resultado das suas acções anteriores. Pergunte-se: Como posso afinar os meus objectivos? Que detalhes deixei passar? Reveja a sua perspectiva original. Focalize a imagem que criou na fase Nova. Deixe de lado as críticas, para ver com clareza, reforçando as suas intenções. Confie no processo.

Fase 5 - CHEIA
A fase Cheia é Ativa e Integradora. Tem a ver com a tomada de consciência, a cooperação e o partilhar de informação. Esta fase envolve o corpo intelectual, onde o desapego apoia a objectividade. Nesta etapa a iluminação traz luz a todos os lugares escuros, as sombras são expostas.
A energia desta fase é estimulada pelo ouvir, interior e exterior. Devem-se tomar as acções necessárias para estabelecer uma relação que possa levar a um equilíbrio. A função desta fase é a de começar o processo de reformular metas de acordo com a tomada de consciência quanto ao verdadeiro significado da visão original.
Durante a fase Cheia deve envolver os outros nas suas actividades. As relações equilibradas são a chave para a tomada de consciência. Observe que tudo isso lhe é devolvido. Pergunte-se. O que posso fazer para harmonizar a situação? Preste atenção e escute atentamente o que você e os outros dizem. Quando a confusão distorcer o pensamento, lembre-se que a música acalma a mente e a canção dá voz ao espírito.


Fase 6 - DISSEMINADORA

A fase disseminadora é Receptiva e Demonstrativa. Tem a ver com a comunicação, o partilhar de recursos e estar aberto à transformação. Relaciona-se com a fase do Primeiro Quarto e também com o corpo sensação-movimento. O poder do que se considera significativo é uma força propulsora para a sua distribuição. Nesta etapa os sentimentos necessitam de ser partilhados com os outros.
A energia desta fase pertence ao movimento. Faz-se um voto de é. Produz-se uma luta entre a visão pessoal e as necessidades do todo.
A função desta fase é a de ganhar perspectiva. Durante esta fase Disseminadora partilha-se a visão com o maior número possível de pessoas. As perguntas a fazer são: Como podem as minhas metas contribuir para o bem-estar colectivo e o meu idealismo me ter levado a pensar que sou o mais justo e bom? Reveja os sentimentos que o levaram à acção do Primeiro Quarto e permita-se a si próprio ensinar o que está a aprender. Troque e mova energia através de grupos desportivos ou de dança.


Fase 7 - ÚLTIMO QUARTO

A fase do Último Quarto é Ativa e Responsável. Relaciona-se com reorientação, transição e finalização. Está ligada à fase Crescente e também pertence ao corpo instintivo. Respostas sensoriais e diretas ao ambiente são as que dirigem a acção final necessária ao cumprimento das metas do ciclo. Nesta fase a ação pode ser tanto de correcção, como o empurrão final necessário para que tudo termine com êxito.
A energia desta fase é estimulada pelos sentidos do paladar, olfacto e tacto. A acção é essencial e evidente. As acções requerem mudança, que tanto pode ser conservadora, como inventiva e existe algum risco quando se muda a estrutura sobre o que foi construído. A função desta fase é de manifestação.
Durante esta fase Último Quarto são reconhecidos os frutos e deve aceitar-se as responsabilidades das suas ações. Faça o que tem que fazer, instintivamente sabe qual é o caminho apropriado a seguir. A pergunta é: Daqui para onde vou? Utilize o que obteve para ajudar os outros. Para libertar a energia bloqueada utilize técnicas tácteis e instintivas, que incluem com o corpo, manipulação e aromaterapia.


Fase 8 - BALSÂMICA

A fase Balsâmica é Receptiva e Libertadora. Tem a ver com o abandonar do passado e levar os sentimentos e atenção para o futuro. Está relacionada com a fase Cheia e envolve o corpo intelectual. Tal como acontece com a Cheia, há um desapego que serve para dar uma visão objectiva. Enquanto que na fase Cheia há uma tomada de consciência do que se é, na Balsâmica tem a ver com o que se foi e o que se será.
A energia desta fase é estimulada pelo ouvido, interior e exterior. As vozes interiores murmuram sugestões relacionadas com o futuro. A luta por não se dar por vencido pode produzir confusão em relação ao que ameaça terminar e levar a um próximo ciclo. Deve conseguir libertar-se do passado, para começar um novo ciclo com consciência e clareza. A função desta fase é apagar ciclos passados para preparar o novo ciclo.
Durante esta fase Balsâmica é necessário sair do mundo exterior. É tempo para sonhar e de contemplação passiva. Pergunte-se: O que é necessário para me libertar? e O Que é que escolho para levar para o próximo ciclo? Permita-se a si próprio curar-se com práticas de meditação que envolvam o som o canto, a percussão, as vozes.
Estes ciclos repetidos regularmente descrevem o processo de manifestação criativa. Cada novo ciclo oferece a oportunidade de nos conhecermos um pouco melhor, de nos familiarizarmos com os nossos padrões de resposta, de praticar a expressão do nosso propósito espiritual e viver a vida em plenitude. O equilíbrio dos nossos valores espirituais e das realidades materiais inerentes neste processo, cimenta e apoia a criatividade, trazendo-a à vida.



Bibliografia:
Myers, Robert Kent - Getting "On-Time" With Your Life. RKM, 1996
Robertson, Marc - Cosmopsychology I: The Engine of Destiny. AFA, 1976
Rudhyar, Dane - The Lunation Cycle. Shambala, 1967

Retirado do site: www.zodiacarts.com